Gibi 2. 1969

raymundo-collares-gibi-2-1969-papel-recortado-63-x-625-cm-premio-prefeitura-de-belo-horizonte-1969

Raymundo Collares. Gibi 2. 1969. Papel recortado. 63 x 62,5 cm. Prêmio Prefeitura de Belo Horizonte. 1969 – I Salão Nacional de Arte Contemporânea da Prefeitura de Belo Horizonte. Acervo Museu de Arte da Pampulha.

A criação se faz no ato de virar à página sobrepondo as superfícies cromáticas, a transformação ocorre e escapa por entre os dedos do “leitor” que promove incessantes conformações para o plano, sendo deslocado para o interior dessa história protagonizada por cores e contada em formas. Collares investiga com seu trabalho as possibilidades de mutação da superfície bidimensional, de seriação “bem como da participação do público”, chegando ao “livro-objeto”. “Encadernou folhas (sic) de papel recortado, em várias cores (sic), recriando sua pintura, enriquecendo-a, conseguindo o movimento que a pintura sugeria. É uma das mais importantes presenças no Salão”. (SAMPAIO, Márcio. O I Salão Nacional de Arte Contemporânea de Belo Horizonte (I). Suplemento Literário do Minas Gerais, 24 de jan. de 1970, p.11).

Para saber mais: Vivas, Rodrigo ; GUEDES, G. . SITUAÇÕES-LIMITE: ENTRE A AÇÃO E A CONTEMPLAÇÃO. In: 23 Encontro da ANPAP, 2014, Belo Horizonte. 23 Encontro da ANPAP. Belo Horizonte: ANAP, 2014. v. 1. p. 3721-3737.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s