Moderna e Contemporânea – 2019/1

Professor Dr. Rodrigo Vivas
Doutor em História da Arte – Currículo Lattes
Contato: rodvivas@gmail.com

As aulas de Artes Visuais Moderna e Contemporânea serão ministradas seguindo as seguintes regras:

Horário de chegada: será feita uma chamada às 13:20 min., com tolerância de 10 min. para chegada em sala. A cada encontro são contabilizadas quatro aulas, portanto, a chegada após as 13:30 implicará em duas faltas ao aluno.

A leitura prévia dos textos definidos para cada aula é obrigatória, sendo de responsabilidade do aluno levar os textos para sala, possibilitando as discussões. Cada texto será discutido por quanto tempo necessário, conforme o desenvolvimento da turma. Ao começo das aulas, o(s) aluno(s) deve(m) explicitar sua(s) dúvida(s) sobre o texto, apontando com exatidão a página, a partir da leitura do(s) trecho(s) ao qual se refere(m). Não havendo dúvidas sobre o texto selecionado para o dia, passaremos para a discussão do texto seguinte.

Toda discussão em sala seguirá por meio de debates em nível acadêmico, as problematizações, dúvidas ou questionamentos não poderão ser sustentadas por achismos ou “opiniões” sem embasamento teórico, portanto, caso um texto selecionado não seja suficiente para sanar alguma questão, poderemos procurar outros textos para discussão.

Todo trabalho, fichamento ou análise deverá estar formatado conforme as normas da ABNT, textos fora do padrão de formatação não serão avaliados. Link para download do tutorial: Normas para Formatação ABNT.
Referência complementar sobre as normas: FRANÇA. Junia Lessa. Manual para normalização de publicações técnico-cientificas. 8a Ed. Belo Horizonte, Ed.: UFMG, 2008, p. 49-255

Faça o download de todos os textos

A história da arte como disciplina humanística

Definição de História e Crítica de Arte. Modalidades de crítica. A importância da história. As diferenças da história da arte e outros campos de conhecimento. O olhar estético e olhar artístico.

Referência obrigatória:

PANOFSKY, Erwin. A História da Arte como disciplina humanística. Significado nas artes visuais. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1979. pp. 19-46.

Mundos da arte

A atividade artística como uma prática coletiva. As modalidades artísticas nos “mundos da arte”. A análise será realizada a partir dos seguintes capítulos: Mundos da Arte e Actividade Coletiva; As convenções; A Estética, os Estetas e os Críticos.

Referência obrigatória:

BECKER, Howard S. Mundos da Arte. Trad. Luis San Payo. Edição comemorativa do 25º aniversário, revista e aumentada. Lisboa: Livros Horizonte, 2010. 327p.

Atividade do curso: Visita ao Musée d’Orsay. Atividade disponível no moodle até 31 de agosto 23:55. 

O Impressionismo e a narrativa modernista

Meyer Schapiro constrói uma narrativa para explicar como os artistas impressionistas buscaram romper com a tradição artística para justificar a introdução ao primeiro movimento moderno.

Referência obrigatória:

SCHAPIRO, Meyer. O conceito e o método do impressionismo. In: Impressionismo: reflexões e percepções. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

Desenvolvimento da estética moderna

Artistas analisados: Cezanne; Seurat; Signac; Van Gogh e Gauguin

Referência obrigatória:

ARGAN, G. C. Paul Cézanne, George Seurat. In: Arte Moderna: São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

ARGAN, G. C. Vicent Van Gogh, Henri Toulouse-Lautrec, Paul Gauguin. In: Arte Moderna: São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

 

Expressionismo Alemão

Referência obrigatória:

HARRISON, Charles. O expressivo e o expressionista. in: Primitivismo, Cubismo, Abstração; Começo do século XX. Cosac & Naify Edições, 1998.

Abstrações em movimento

Referência obrigatória:

GOODING, Mel. A abstração e o invisível. In: Arte abstrata. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

GOODING, Mel. A abstração e o visível. In: Arte abstrata. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

Retorno à ordem

Referência obrigatória:

HARRISON, Charles. FRASCINA, Francis. PERRY, Gill. Essa liberdade e essa ordem: a arte na França após a Primeira Guerra Mundial. In: Realismo, Racionalismo, Surrealismo. A Arte no entre-guerras. São Paulo: Cosac & Naify Edições.

Expressionismo Abstrato

Referência obrigatória:

WOOD, Paul. O expressionismo abstrato e a política. In: Modernismo em disputa. A arte desde os anos quarenta, São Paulo: Cosac & Naify, 1998.

Arte Pop

Referência obrigatória:

MCCARTHY, David, Arte Pop. São Paulo – Cosac & Naify, 2002.

Teoria Crítica e ação cultural, Arte e Política, Classe e gênero

Referência obrigatória:

WOOD, Paul. Modernidade e Modernismo reconsiderados. IN: Modernismo em disputa. A arte desde os anos quarenta, São Paulo: Cosac & Naify, 1998

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s