2011

VIVAS, Rodrigo; GUEDES, Gisele. A Igreja de São Francisco de Assis. Revista Imagem Brasileira, n° 6 – 2011, p. 106-120

Resumo:

O presente artigo coloca em perspectiva, os painéis interno e externo realizados por Cândido Portinari na Igreja São Francisco de Assis em Belo Horizonte no ano de 1943, a discussão busca o entendimento da associação existente entre as representações feitas por um artista moderno e um tema tradicional da iconografia, caso das histórias de São Francisco de Assis Como parte do método de análise, além do iconográfico desenvolvido por Erwin Panofsky, está também, o estudo dos esboços executados por Portinari.


 

VIVAS, Rodrigo. Aníbal Mattos e as Exposições Gerais de Belas Artes em Belo Horizonte. 19&20, Rio de Janeiro, v. VI, n. 3, jul./set. 2011. Disponível em: <http://www.dezenovevinte.net/artistas/rv_am.htm&gt;.

RESUMO:
O presente artigo analisa cinco pinturas de Aníbal Mattos e a criação das Exposições de Belas Artes na cidade de Belo Horizonte. O primeiro feito de Mattos foi transferir o modelo das Exposições Gerais de Belas Artes, da Escola Nacional de Belas Artes, para Belo Horizonte tendo organizado mais de 25 mostras. A obra de Aníbal ainda não foi estudada sendo que as referências existentes tendem a relacioná-lo a política conservadora e responsabilizá-lo pelo insucesso da fundação da Escola Guignard. O presente artigo tem o objetivo de apresentar cinco pinturas de Mattos e fornecer um percurso inicial de análise.


 

VIVAS, Rodrigo. O que queremos dizer quando falamos em História da Arte no Brasil?. R.Cient./FAP, Curitiba, v.8, p. 94-114, jul./dez. 2011

RESUMO:

A História da Arte no Brasil tem, nas últimas décadas, sido tratada como formação complementar para os cursos de história, comunicação, arquitetura e arte. Nos últimos anos, com a criação de cursos de graduação e pós-graduação em História da Arte, tornou-se urgente discutir os parâmetros que norteiam a disciplina, assim como propor revisões do seu quadro teórico-metodológico. O presente artigo versará sobre a construção do campo de estudos. Discute, ainda, as propostas de Erwin Panofsky e Didi-Huberman.


 

VIVAS, Rodrigo. Salões e Bienais: da arte de vanguarda à arte contemporânea. in: GOMÉS, Jorge Gabrera. Um dia a árvore de sonhos inopinados: acrobacias, totens, mandalas e oroboros do esculturor Geraldo Teles de Oliveira. Belo Horizonte: SESC Minas, 2011, p. 29-44

 

Catálogo completo da exposição “Um dia a árvore dos sonhos inopinados – acrobacias, totens, mandalas e oroboros do escultor Geraldo Teles de Oliveira“, no Sesc Palladium em Belo Horizonte, MG, Brasil.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s